September 3, 2018 Bruna Silva 0Comment

Seja um profissional liberal e conquiste autonomia na carreira

Mais de 10 milhões de pessoas têm optado pelo ramo empreendedor, no Brasil.

Considerado um verdadeiro empreendedor, o profissional liberal tem ganhado cada vez mais espaço no Brasil. Médicos, advogados, engenheiros, jornalistas e corretores de imóveis fazem parte de mais de 10 milhões de trabalhadores que optaram por carreiras mais independentes.

 

3 dicas para ser um bom profissional liberal

Porém, essa mentalidade está mudando. Um bom profissional liberal pode se colocar muito bem no mercado. Para facilitar a sua ascensão nesse segmento, confira três dicas do criador da Liberalis.

1. Divulgue seu negócio

Fundamental meio de comunicação moderno, as redes sociais são muito úteis na divulgação do seu serviço, mas não devem ser as únicas formas de apresentar o trabalho. É preciso ter muito cuidado para não ficar escondido atrás de redes sociais fechadas.

Os perfis e páginas no Facebook, por exemplo, só podem ser vistos por pessoas que tenham conta nessa rede social e que estejam conectadas. “Isso significa que, se você criar uma página dentro do Face para divulgar seu negócio e algum cliente em potencial procurar por ela usando o Google, ele não conseguirá achar o seu conteúdo”, adverte.

2. Crie um site pessoal

Um saída para não cair nessa armadilha é utilizar outros meios de divulgação. O ideal, portanto, é também a criação de site, de modo que o profissional seja facilmente localizável pelos grandes buscadores da Web.

3. Invista em marketing

Diferentemente de alguém que trabalha numa empresa, os profissionais liberais precisam não só focar atenção no que fazem melhor, mas também no próprio marketing. Desde o cartão de visitas básico até a divulgação comercial, tudo está por conta da própria pessoa. “Por isso, é importante estar ciente das ferramentas mais modernas e eficazes para essas necessidades periféricas”, completa Salem.

Profissional liberal X Autônomo

No entanto, apesar de tantos adeptos, muita gente ainda confunde o profissional liberal com o trabalhador autônomo. Tratam-se de conceitos bem diferentes.

A Confederação Nacional de Profissionais Liberais (CNPL), por exemplo, define seus membros como trabalhadores que podem exercer com liberdade e autonomia a sua profissão, decorrente de formação técnica ou superior específica, legalmente reconhecida.

A organização afirma que existem  mais de 530 sindicatos criados para as categorias de profissional liberal no Brasil. Já os trabalhadores autônomos englobam um grupo muito maior de pessoas. No Brasil, há cerca de 2,5 milhões de profissionais desse tipo, segundo dados da Receita Federal.

Esses indivíduos podem ser definidos como toda pessoa que exerça uma atividade rentável de modo individual e sem vínculo empregatício, incluindo profissionais com nível técnico, tais como eletricistas e marceneiros.

Para Paulo Salem, criador do portal Liberalis – voltado para esses públicos divulgarem seus serviços -, as duas categorias ainda são muito confundidas porque, segundo ele, a nossa cultura ainda não lida bem com quem trabalha fora de empresas. Então, quem está fora desse modelo não é reconhecido. “Assim, por vezes são todos colocados no mesmo saco”, completa.

Gostou do artigo? Então aproveite para compartilhar as dicas com outros profissionais liberais que você conheça!